Rua Goiás


Extensão: 250 metros
Bairro: D.E.R.
Lei 20/1967


No ano de 1967, já percebiam-se algumas leis e atitudes tomadas no sentido de organizar a cidade, em franco crescimento. A lei nº 20/1967 é uma prova disso. Nomeava 67 ruas, em diversos loteamentos espalhados pela cidade. Destas ruas, agrupadas nos referidos loteamentos, 9 receberam nomes indígenas, 15 nomes de países, 10 nomes de estados brasileiros, 7 capitais de estados brasileiros, 24 municípios de Santa Catarina, além de 2 nomes próprios de destacados cidadãos caçadorenses.

As ruas denominadas por esta lei que receberam nomes de estados brasileiros são Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Guanabara, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. A rua Paraná foi planejada, mas não executada, não existindo no atual quadro de ruas de Caçador.

Deve-se observar que, à época da edição desta lei municipal, existia na configuração política brasileira o estado da Guanabara, que consistia no atual município do Rio de Janeiro. Foi criado no lugar do chamado “município neutro”, depois denominado “Distrito Federal”, que abrigava a sede do poder central do Brasil. A partir da transferência da capital para Brasília, foi criado o Estado da Guanabara, que perdurou até 1975.

Goiás é um estado brasileiro localizado no ponto mais central do território nacional. Aos tempos do descobrimento do Brasil pelos portugueses, a região do atual estado de Goiás era habitada pelos índios avá-canoeiros, tupi-guaranis e tapuias. A ocupação do território goiano teve início com as expedições de bandeirantes provenientes da Capitania de São Paulo. As Bandeiras objetivavam capturar índios que, por sua vez, serviam como mão-de-obra escrava no desenvolvimento da agricultura e minas, tanto no "território dos Goyazes" quanto na Capitania de São Paulo. Além destas, outras expedições saíam do Pará, nas chamadas “Descidas” com vistas à catequese e ao aldeamento dos índios da região. Todas essas expedições tinham como rota o território do atual estado, mas não se dava a criação de vilas permanentes e nem a manutenção de um notável número de população na região.

O estado sofreu um acelerado crescimento e expansão apenas a partir da década de 1940, quando vários fatores (interiorização, marcha para o oeste, construção de Brasília, etc.) contribuíram para que o progresso e desenvolvimento atingissem esta região. O estado cedeu à união a área do Distrito Federal que é praticamente toda rodeada pelo estado de Goiás, exceto por uma pequena faixa de menos de dois quilômetros de extensão que faz divisa com o estado de Minas Gerais.

A base da economia é a agricultura, através de plantações de arroz, café, algodão, feijão, milho, soja, sorgo, trigo, cana-de-açúcar, alho e de tomate. Atualmente, o estado de Goiás enfrenta um grande desafio: tentar conciliar a expansão da agroindústria e da pecuária com a preservação do cerrado, considerada uma das regiões mais ricas do planeta em biodiversidade.